Kleber Morais | Ciência e Tecnologia
Sou Kleber Morais. Amante do conhecimento, apaixonado pela ciência e fascinado pela tecnologia, busco sempre estar atualizado e informado.
Email: negro.morais@gmail.com | Twitter: @KleberMorais85
Coluna | Tecnologia
Postado em 30 de Março de 2018 ás 08:19 h
Como acompanhar em tempo real a queda da estação espacial chinesa desgovernada
O site SatView traz uma contagem em tempo real da expectativa de tempo para a queda
Foto: Aerospace
Publicidade

É um fato que a estação espacial chinesa Tiangong-1 vai cair na Terra; também é sabido que, neste momento, ainda não é fácil precisar exatamente nem onde ela vai cair, nem quando isso vai acontecer nem qual será o seu tamanho no momento do impacto, já que boa parte da estação deve se desfazer na reentrada. Ao menos, no entanto, é possível acompanhar sua trajetória em tempo real.

O site SatView traz uma contagem em tempo real da expectativa de tempo para a queda, estimada para acontecer no dia 1º de abril (mas não é brincadeira do Dia da Mentira, que fique claro). A página também mostra exatamente qual parte do globo a estação está sobrevoando, então é uma boa ideia não estar embaixo do pontinho no mapa quando o contador chegar ao zero. Você pode conferir neste link.

A Tiangong-1 foi colocada em órbita em 2011. O plano original era trazê-la de volta à Terra em 2013, após o lançamento da Tiangong-2, um módulo maior e que ainda é usado por astronautas chineses em diversos experimentos científicos. No entanto, a plataforma não cumpriu o prazo e permaneceu em órbita, sem ser usada. Em 2016, surgiram informações de que a China havia perdido o controle da estação espacial, que poderia despencar para a Terra a qualquer momento, o que pode acontecer neste fim de semana.

A Agência Espacial Europeia explica que o local preciso do impacto só poderá ser descoberto com sete horas de antecedência, mas o mapa abaixo mostra quais são as maiores probabilidades; toda a área verde é uma região onde a estação pode cair, mas a área em amarelo são as zonas de maior probabilidade.

Por: Kleber Morais | Ciência e Tecnologia
Comentários ()
Publicidade
Publicidade