Whatsapp Nova Cruz Oficial (84)9147-8518 - Envie Fotos, Vídeos e Informações Email: contato.novacruzoficial@bol.com.br
Kleber Morais | Ciência e Tecnologia
Sou Kleber Morais. Amante do conhecimento, apaixonado pela ciência e fascinado pela tecnologia, busco sempre estar atualizado e informado.
Email: negro.morais@gmail.com | Twitter: @KleberMorais85
Coluna | Ciência
Postado em 09 de Janeiro de 2017 ás 07:39 h
Você põe “cotonete” dentro do ouvido? É melhor parar agora mesmo
O uso incorreto de hastes flexíveis pode ocasionar problemas auditivos temporários ou permanentes, como a surdez
Hastes flexíveis: uso incorreto é prejudicial (Reprodução/Thinkstock)
Publicidade

Como você limpa os seus ouvidos? Se você põe hastes flexíveis com algodão – conhecidos popularmente no Brasil como cotonetes, marca registrada da Johnson & Johnson – dentro do canal auditivo, especialistas indicam que você deve parar de fazer isso o quanto antes. Com o uso de “cotonetes” dentro do ouvido, a cera acumulada é empurrada para dentro do canal auditivo, o que pode ocasionar uma obstrução, chamada de cerume impactado.

“As pessoas têm uma inclinação para limparem os seus ouvidos porque acreditam que a cera seja uma indicação de sujeira. Essa informação errada leva a hábitos de saúde que não são seguros”, Segundo Seth R. Schwartz, médico e responsável pela atualização do manual de boas práticas de cuidados com os ouvidos, da Academia Americana De Cirurgiões de Otorrinolaringologia, Cabeça e Pescoço, divulgado nesta semana.

O cerume tem funções importantes para nossos ouvidos: proteger contra danos causados por água, corpos estranhos, infecções ou mesmo algum tipo de trauma. O próprio organismo humano se encarrega de eliminar o que é necessário, seja durante o dia, enquanto você mastiga sua comida, ou na hora do banho.

“Os pacientes costumam pensar que estão prevenindo o acúmulo de cera limpando suas orelhas com hastes flexíveis, clipes de papel, cones auriculares ou qualquer outra coisa inimaginável que as pessoas colocam nos seus ouvidos. O problema com essa iniciativa de eliminar a cera está apenas criando mais problemas, porque a cera é somente empurrada e compactada para dentro do canal do ouvido”, segundo Schwartz.

Essencialmente, qualquer coisa que você colocar no canal do ouvido pode causar danos temporários ou permanentes, como a surdez. No caso de acúmulo anormal de cera, você deve procurar um médico, que poderá realizar o procedimento de limpeza com segurança. Segundo a academia americana, esse problema atinge, em média, 1 em cada 10 crianças e 1 em cada 20 adultos.

Não é só a instituição dos Estados Unidos que contesta o uso de hastes flexíveis dentro do canal auditivo. A Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial também diz o seguinte: “Para limpar os ouvidos corretamente é necessário apenas um pano ou lenço de papel. Os médicos advertem: “hastes flexíveis podem machucar o canal auditivo e até causar perdas na audição”.

O Hospital do Servidor Público Estadual do Governo de São Paulo também tem um artigo sobre prevenção de problemas auditivos, no qual indica o uso incorreto de hastes flexíveis como um dos fatores que causa mais problemas. “Seu uso deve ser feito apenas na parte externa. Em nenhuma situação deve ser introduzido no canal”, de acordo com o hospital.

O Hospital Paulista, localizado em São Paulo e especializado em ouvido, nariz e garganta, ressalta que o uso dos hastes flexíveis deve ser feito somente na parte externa, nas dobrinhas da orelha, nunca dentro do “furinho”. Os especialistas indicam que você pode limpar os ouvidos com toalhas macias.

Mas é gostoso…

A sensação de colocar hastes flexíveis dentro do canal auditivo é gostosa. Isso acontece porque o ouvido é cheio de nervos com fibras sensitivas, que levam esse estímulo para o cérebro. A explicação é de Paulo Lazarini, presidente da Academia Brasileira de Otologia, e foi publicada pelo Oráculo, da Superinteressante. Ele compara o estímulo provocado pelas hastes com o alívio gerado quando você está com coceira nas costas e consegue coçar. No entanto, Lazarini também recomenda a limpeza do ouvido com uma toalha ou lenço de papel.

Fonte: Revista Exame

Por: Kleber Morais | Ciência e Tecnologia
Comentários ()
Publicidade
Publicidade