Sidney Soares | Educação & Social
Sou Sidney Soares. Professor de História e economia do RN. Formado em História, acadêmico de Direito, pós graduado em Gestão Escolar e pós graduado em Direito do Trabalho e em Gestão de Pessoas e mestrando em educação pública.
Email: neysoares10@hotmail.com | Twitter: @neysoares10
Coluna | Sociedade
Postado em 02 de Fevereiro de 2016 ás 08:34 h
Aguardando as mudanças no Rio Grande do Norte
Rio Grande do Norte estado rico e forte.
Publicidade

No dia em que o governo do Estado anunciará as prioridades para 2016, vamos pensar e analisar de forma simples o que não aconteceu e o que está acontecendo no Rio Grande do Norte.

O governador Robinson Faria é um homem íntegro e sério, mas fica a pergunta: o que será que está faltando para fluir uma gestão diferenciada no governo atual?

Mas também, muitas perguntas podem ser feitas quando se olha a situação política, econômica e social do Rio Grande do Norte.

Um governo eleito com anseios de mudança e subentendido para trabalhar tecnicamente nas diversas áreas de Governo, mas não é isso que se vê na prática.

O que se vê, são a maioria dos hospitais maus geridos, com falta de recursos e sucateados(e olhe que a saúde foi escolhida como o número 1 em prioridade pelo governador Robinson Faria, inclusive o mesmo falou em rede aberta de televisão que tiraria um dia para dar expediente no Hospital Walfredo Gurgel). O aumento dos casos de dengue e zica, como também a crescente microcefalia.  

O programa de combate às drogas através PROERD não existe mais nas escolas, insegurança total(assaltos e mortes diariamente), fugas e rebeliões nunca vistas tantas no Rio Grande do Norte e presídios super lotados.

As estradas esburacadas nas diversas regiões do Estado e o IPVA aumentando, analfabetismo crescente, falta de professores nas escolas públicas, falta de um plano de ação coeso no combate contra a seca e as Centrais do cidadão continuam sucateadas.

Além de tudo isso o cancelamento das vagas para o núcleo da UERN na região agreste e provavelmente seu futuro fechamento. O uso constante do dinheiro do fundo previdenciário do estado e por fim o salário depois de décadas não será pago nos dois últimos dias do mês.

Aguardaremos boas notícias do atual governo, tendo em vista ter pessoas técnicas competentes e inovadoras na gestão. Alinhar esses conhecimentos a prática e aplicar nos diversos setores para efetivamente ter as mudanças esperadas no tão lindo e agradável estado do Rio Grande do Norte.

Por: Sidney Soares | Educação & Social
Comentários ()
Publicidade
Publicidade