Sidney Soares | Educação & Social
Sou Sidney Soares. Professor de História e economia do RN. Formado em História, acadêmico de Direito, pós graduado em Gestão Escolar e pós graduado em Direito do Trabalho e em Gestão de Pessoas e mestrando em educação pública.
Email: neysoares10@hotmail.com | Twitter: @neysoares10
Coluna | Sociedade
Postado em 13 de Fevereiro de 2016 ás 10:30 h
Conheça a si mesmo neste período de reflexão, oração e penitência
Tempo de oração, jejum e penitência
Publicidade

Neste tempo favorável de graça (cf. 2 Cor6,2). Vamos agradecer ao dom da vida e a liberdade de ir e vir. Já passou a maior festa popular do mundo o carnaval, no qual poucos ficaram em casa assistindo televisão, outros foram para as igrejas, outros curtindo a família em lugares diversos, mas milhares curtindo o carnaval. A vida é assim, feita de escolhas.

Mas passado tudo isso vamos também pensar que estamos em mais um momento de reflexão na vida, é o período da quaresma, sendo tempo de oração, jejum, penitência e principalmente para combater o orgulho com todas as nossas forças dentro de nós.

Nesta Quaresma, procuremos, mais ainda do que a mortificação corporal, aceitar o convite que o Evangelho sabiamente nos faz, combatendo o orgulho com todas as nossas forças. Só estarão à direita de Nosso Senhor Jesus Cristo, no dia do Juízo Final,aqueles que tiverem vencido o orgulho e o egoísmo, reconhecendo que “todo dom precioso e toda dádiva perfeita vêm do alto”(Tg 1, 17).

Compartilho abaixo com vocês parte da mensagem do Papa Francisco, enviada não apenas aos fiéis católicos e sim aos fiéis Deus. Também como indivíduos temos a tentação da indiferença. Estamos saturados de notícias e imagens impressionantes que nos relatam o sofrimento humano, sentindo ao mesmo tempo toda a nossa incapacidade de intervir. Que fazer para não nos deixarmos absorver por esta espiral de terror e impotência? Em primeiro lugar, podemos rezar na comunhão da Igreja terrena e celeste. Não subestimemos a força da oração de muitos! A iniciativa 24 horas para o Senhor, que espero se celebre em toda a Igreja – mesmo a nível diocesano – nos dias 13 e 14 de Março, pretende dar expressão a esta necessidade da oração. Em segundo lugar, podemos levar ajuda, com gestos de caridade, tanto a quem vive próximo de nós como a quem está longe, graças aos inúmeros organismos caritativos da Igreja. A Quaresma é um tempo propício para mostrar este interesse pelo outro, através de um sinal – mesmo pequeno, mas concreto – da nossa participação na humanidade que temos em comum. E, em terceiro lugar, o sofrimento do próximo constitui um apelo à conversão, porque a necessidade do irmão recorda-me a fragilidade da minha vida, a minha dependência de Deus e dos irmãos.

 

 

Por: Sidney Soares | Educação & Social
Comentários ()
Publicidade
Publicidade