Litoral Sul
Polícia Civil apreende, em Nísia Floresta/RN mais de 100 galos usados em rinha
A Polícia Civil pede para que a população continue enviando informações de forma anônima

Publicado em 11/06/2020 12:16 - Atualizado em 11/06/2020 12:16

Foto/Ilustrativa

Policiais Civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR) localizaram, nesta quarta-feira (10), uma granja utilizada para criar galos usados em rinhas. O local foi encontrado no município de Nísia Floresta, durante diligências para identificar imóveis do suspeito por tráfico: Carlos Alexandre Martins Salviano, conhecido como "Nem da Abolição", atualmente preso no Presídio Federal.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

No imóvel, foram encontrados mais de 100 galos usados em rinhas, além de uma estrutura voltada para promover as "brigas de galos". Um homem de 47 anos, apontado como morador da granja, foi conduzido para a DEICOR, onde foi confeccionado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

A Polícia Civil pede para que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do disque denúncia 181, e dos números da DEICOR: (84) 3232-2862 e (84) 98135-6796 (Whatsapp).

Maio de 2020 é o mais chuvoso desde o ano de 2011

O volume acumulado de chuvas no mês de maio ficou acima da média esperada no Rio Grande do Norte. A média observada no estado durante o período foi de 145,6 milímetros (mm), enquanto a esperada era de 108,8 mm. Natal, no Litoral Leste potiguar, teve o seu segundo maior índice pluviométrico desde 1963 com o acumulado de 426,1mm, ficando atrás somente do volume 2011, quando choveu 447,4mm.

A análise meteorológica mostrou que as chuvas ocorridas durante o mês de maio de 2020 no Estado tiveram pouca influência do sistema Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que se manteve em praticamente todo o mês, deslocada ao norte, afastada da Região Nordeste do Brasil. O  chefe da unidade instrumental de meteorologia da Emparn, Gilmar Bristot, explica o que contribuiu para o bom volume de chuvas “ Entre os sistemas favoráveis destacamos a “Oscilação 30-60 dias”- Sistema meteorológico de escala planetária, que se desloca de oeste pra leste, alternando a condição de alta e baixa pressão sobre a superfície durante o seu deslocamento-restos de  Sistemas Frontais (Frente Fria -FF) e os Sistemas ondulatórios de Leste, que são instabilidades tropicais de formação oceânica e atingem a costa leste do Nordeste entre os meses de abril a julho”. Outra condição que colaborou para a formação das chuvas tem relação com as águas superficiais nos oceanos Atlântico e Pacífico.

No Oceano Atlântico, as águas na faixa equatorial, próximas do litoral nordestino, mantiveram-se mais quentes do que o normal, inclusive isso contribuiu para a formação de nuvens Cumulus Nimbos, que não é tão comum ocorrer sobre a faixa litorânea leste do Nordeste e que foram responsáveis por trovoadas e descargas elétrica na região da Grande Natal.

A região Leste foi a que registrou a maior média de precipitações observadas com 274,4 mm enquanto que o esperado era de 171,1 mm. Em seguida veio a região Agreste com média de 119,1 mm, Central com 90,1 mm, todas essas regiões com volumes observados acima do esperado. Somente a região Oeste do Estado ficou um pouco abaixo do esperado que era 101,4mm, e o observado foi de 98,8 mm.

Os municípios com maiores volumes de chuvas no período, por região, foram Natal (Leste) com 426,1 mm, seguido de Upanema (Oeste) com 276,8 mm, depois João Câmara (Agreste) com 260,4 mm e por fim São João do Sabugi (Agreste) com 180,1 mm. 

Chuvas em 2020 

Este ano vem registrando bons volumes acumulados de chuvas, beneficiando a agropecuária do estado, bem como a recarga das reservas hídricas e a diminuição da área territorial atingida pela seca.
 
Em janeiro, a média das chuvas observadas no estado foi de 100,7 mm, em fevereiro o índice chegou a 110,9 mm, em março foi de 204,7 mm, abril com 154,6 mm e maio com 145,6 mm.


Contato
contato.novacruzoficial@bol.com.br

Direção Geral: 84 98718-8468