Saiba Mais
Em teste, remédio para piolho matou novo coronavírus em 48 horas
Os especialistas ressaltam, entretanto, que o medicamento ainda está sendo testado e não se sabe quanto e como ele deve ser utilizado

Publicado em 05/04/2020 13:58 - Atualizado em 05/04/2020 13:58

Foto/Reprodução

Um medicamento comumente utilizado para combater piolhos pode ser capaz de matar o novo coronavírus causador da pandemia de Covid-19. Segundo testes realizados por cientistas da Universidade Monash, na Austrália, uma droga presente no antiparasitário foi capaz de inibir o crescimento do microrganismo em apenas 48 horas.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O estudo com os resultados das análises foi publicado pela equipe no periódico Antiviral Research na última sexta-feira (03). De acordo com a pesquisa, o medicamento, conhecido como Ivermectina, interrompeu o crescimento do vírus Sars-CoV-2 quando testado em culturas de células.

“Descobrimos que mesmo uma dose única poderia remover essencialmente todo o RNA viral por 48 horas e que mesmo às 24 horas havia uma redução realmente significativa [desse material genético]”, afirmou Kylie Wagstaff, que liderou a pesquisa, em comunicado.

Como explicou a especialista, a Ivermectina é um medicamento antiparasitário que também já se mostrou eficaz em testes in vitro contra uma ampla gama de vírus, como os que causam o HIV, a dengue, a gripe e o Zika. 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“A Ivermectina é amplamente utilizada e vista como uma droga segura”, disse Wagstaff. “No momento em que estamos, tendo uma pandemia global e sem um tratamento aprovado, se pudermos utilizar um composto que já está disponível em todo o mundo, isso ajudará as pessoas.”

Quer receber as principais notícias do Nova Cruz Oficial três vezes ao dia direto no seu WhatsApp? Salve o número 84 98164-3829 em seu celular e nos mande uma memsagem via Whats com seu nome e cidade que mora. Voce sera cadastrado em nossa lista de transmissão e receberá notícias do RN, PB, Brasil, Saúde, Entretenimento e muito mais.

Os especialistas ressaltam, entretanto, que o medicamento ainda está sendo testado e não se sabe quanto e como ele deve ser utilizado. Portanto, os profissionais da saúde pedem para que as pessoas não se automediquem ou comprem o produto sem necessidade.

“Precisamos descobrir agora se a dosagem que pode ser usada em seres humanos será eficaz [contra o novo coronavírus]”, disse Wagstaff. “Esse é o próximo passo.”

Galileu


Contato
contato.novacruzoficial@bol.com.br

Direção Geral: 84 98718-8468