Postado em 14 de Setembro de 2018 ás 09:56 h
8 vacinas que todo adulto precisa tomar e pouca gente sabe
Foto/Reproducao
Publicidade

Qando se é bebê, existem inúmeras vacinas que devem ser tomadas para garantir que nenhuma enfermidade realmente perigosa infecte a criança ou venha atrapalhar seu desenvolvimento.

O problema que quase ninguém pensa a respeito, no entanto, é que vacinas não são um assunto apenas para a infância. Algumas doses devem ser tomadas durante a vida adulta, a fim de nos proteger contra doenças realmente sérias.

Mas, será que você já ouviu falar que existem vacinas obrigatórias para adultos? Ou melhor: será que você ainda tem um cartão de vacinação?

A resposta da maioria, provavelmente, vai ser de surpresa, já que pouco se fala sobre vacinas para adultos. No entanto, como você vai ver, essas vacinas são muito mais importantes que gostaríamos de admitir.

Confira 8 vacinas que todo adulto precisa tomar e ninguém sabe:

1. Difteria e tétano (vacina dupla tipo adulto)

Difteria é uma doença causada por bactéria, normalmente contraída em contato com secreções de pessoas já infectadas. A doença afeta diretamente o sistema respiratório, causa febre, dores de cabeça e, em casos mais graves, pode causar inflamação no coração.

O tétano também tem origem na toxina de uma bactéria, que compromete os músculos. Normalmente a pessoa se infecta ao se ferir em algum tipo de metal enferrujado, como num prego, por exemplo. A doença causa espasmos involuntários, compromete a musculatura do diafragma e, se não for tratada no início, pode causar parada respiratória e levar até a morte.

A vacina, normalmente, é administrada em duas três doses, com intervalo de dois meses entre cada uma delas. É mais comum que essas injeções sejam tomadas na infância, mas é preciso fazer reforços da vacina enquanto adulto, pelo menos a cada 10 anos.

2. Sarampo, caxumba e rubéola (vacina tríplice-viral)

Sarampo é uma doença causada por um vírus que entra pelas vias respiratórias e deixa manchas vermelhas pelo corpo. Em crianças saudáveis, a mortalidade fica abaixo de 0,2% dos casos e, em adultos, a doença é pouco observada. No entanto, essa é uma das vacinas obrigatórias na fase adulta para proteger as crianças com as quais convivem.

A caxumba também é transmitido por via respiratória e um de seus principais sintomas é o inchaço no pescoço. Apesar de ser mais comum na infância, ela costuma ser mais agressiva em adultos, podendo causar meningite, encefalite, surdez, inflamação nos testículos ou nos ovários e até mesmo no pâncreas.

A rubéola, por sua vez, causa o aumento dos gânglios do pescoço, causa manchas avermelhadas na pele e é perigosa nas gestantes. Nesse último caso, aliás, o vírus pode evoluir e levar à síndrome da rubéola congênita, que pode comprometer a formação do bebês nos três primeiros meses da gravidez. A síndrome também pode causar surdez, má-formação cardíaca, catarata, atraso no desenvolvimento da criança e assim por diante.

A vacina que imuniza contra as três doenças deve ser tomada em duas doses. No caso dos adultos, é preciso tomar a vacina caso ainda não tenha recebido as duas doses na infância ou se tiver nascido depois de 1960. Antes dessa data, o Ministério da Saúde já considera as pessoas já estão imunizadas porque já contraíram a doença ou conviveram com quem já a desenvolveu e desenvolveram resistência.

No caso de mulheres que pretendem ter filhos, essa é uma vacina obrigatória, especialmente se ainda não tiver sido imunizada ou se ainda não tiver tido rubéola.

3. Hepatite B

Transmitida pelo sangue e por relações sexuais,  a doença normalmente não costuma ter sintomas. Algumas pessoas chegam a se curar naturalmente, mas em outras, a doença pode se tornar crônica, causando lesões no fígado que podem evoluir para uma cirrose e até para um câncer de fígado.

Até os 24 anos de idade, qualquer pessoa pode tomar a vacina gratuitamente, em qualquer posto de saúde. Depois disso, a vacina ainda é de graça caso o adulto esteja no grupo de risco, como para pessoas que tenham contato com sangue, profissionais da área da saúde, podólogos, manicures, tatuadores, bombeiros e aquelas que mantem relação íntima com portadores da doença.

4. Pneumonia (pneumo 23)

Causada por uma bactéria chamada pneumococo, a pneumonia pode afetar pessoas de todas as idades, mas costuma ser mais perigosa em indivíduos acima dos 60 anos. Ela causa inflamação nos pulmões e se manifesta pelo corpo por febre alto, suor intenso, calafrios, falta de ar, dor no peito e tosse com catarro.

A doença pode ser ainda mais séria em pessoas com doenças crônicas no pulmão e no coração, que se tornam alvos fáceis para a bactéria. Por isso, é preciso ficar atento a essa vacina, caso você está no grupo de risco.

O problema é que essa não é uma das vacinas oferecidas gratuitamente nos postos de saúde. É preciso ir até locais especializados para vacinação, normalmente em clínicas privadas, para se imunizar.

5. Febre amarela

Outra das vacinas importantes na vida adulta é a da febre amarela. A doença, como você já deve saber, é causada pelo mosquito transmissor da dengue, o Aedes argypti, como você já conferiu aqui, nessa outra matéria.

Mas, no caso da vacina, ela deve ser tomada apenas por quem vive em uma área de risco ou vai viajar para uma (pelo menos 10 dias antes da viagem). Só para lembrar, no Brasil, são consideradas áreas de risco da febre amarela zonas rurais no Norte e no Centro-Oeste, alguns municípios dos Estados do Maranhão, do Piauí, da Bahia, de Minas Gerais, de São Paulo, do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

A restrição, segundo os médicos, é o risco que se tem de desenvolver reação alérgica grave ou anafilática, que podem levar à morte. Mas, se você precisa tomar, calma! Os médicos também explicam que são extremamente raros efeitos colaterais mais sérios à vacina.

6. Gripe (Influenza)

Essa é uma das vacinas mais importantes para os adultos, especialmente para os maiores de 60 anos. A doença é transmitida pela via respiratória, causa dores musculares, febres altas e pode até matar, dependendo da baixa na imunidade.

Sobre as supostas reações à vacina da gripe, os especialistas explicam tudo não se trata de um mito. A suposta reação no corpo, segundo eles, não é causada pela vacina em si. O que acontece é que o vírus da influenza pode ficar armazenado no corpo por semanas e se manifestar, uma vez que a proteção da vacina não é imediata.

7. HPV

petra

Para quem não sabe, HPV é a sigla usada para Papilomavírus Humano, um vírus (de vários tipos) transmitido durante as relações sexuais e o grandes responsável, em até 90% dos casos, pelo câncer de colo de útero. Isso, sem contar que pode provocar tumores de vulva, pênis, boca, anus e pele.

A vacina é indicada para homens e mulheres e imuniza, normalmente, contra os quatro principais tipos de HPV. Ela é administrada em três doses, sengo a segunda aplicada após 30 dias da primeira dose e, a terceira, depois de seis meses da segunda.

Embora toda pessoa adulta possa e deva se imunizar, a vacina é bastante indicada para pessoas entre os nove e os 26 anos, especialmente aquelas que ainda não começaram uma vida íntima, para que a imunização seja mais eficiente.

8. Herpes Zóster

A doença se trata de uma infecção viral , causada pelo varicela-zoster, que provoca vesículas na pele e quase sempre dores intensas. Esse vírus, aliás, é o mesmo agente causador da catapora e costuma infectar pessoas que já tiveram essa doença em algum momento da vida (uma vez que elas ficam com o vírus adormecido em seus gânglios).

A Herpes Zóster não costuma ser letal, mas pode ser bastante dolorosa. E, por ser muito comum em idosos e em pessoas acima dos 50 anos, a vacina também é indicada para pessoas que já passaram dos 50. Essa imunização, aliás, vale também contra a neuralgia pós-herpética, que causa dores e queimação no local onde esse tipo de herpes tenha ocorrido.

A má notícia, no entanto, é que essa não é uma vacina encontrada nos postos de saúde.

Fonte: Segredos do Mundo

Por: Nova Cruz Oficial
Comentários ()