Postado em 11 de Outubro de 2018 ás 08:08 h
Hospital no RN afasta médica que rasgou receita após paciente dizer que não vota em Bolsonaro
Foto/Reproducao
Publicidade

Do Portal no Ar - A médica Maria Tereza da Costa Dantas foi afastada do Hospital Giselda Trigueiro. A informação foi repassada ao PORTAL NO AR pela direção da unidade onde a infectologista rasgou a receita prescrita a um paciente. Isso aconteceu após a profissional descobrir que ele não vota no candidato do PSL para presidente da República, Jair Bolsonaro, que tem a preferência dela.

De acordo com a direção do hospital, a médica está afastada por tempo indeterminado até o desfecho do caso. “Foi aberto um inquérito administrativo, que foi enviado à assessoria jurídica da Secretaria de Saúde. Vem de lá a decisão de suspensão, advertência ou o que quer se seja”, relatou André Prudente, diretor técnico da unidade.

O diretor contou que a médica atua no hospital encravado nas Quintas, bairro da zona oeste de Natal, há mais de 20 anos. A profissional tinha um histórico de boa conduta, informou André Prudente.

ssd334

José Alves de Menezes, de 72 anos, trabalhou no Hospital Giselda Trigueiro como auxiliar de serviços gerais. Ele está aposentado, e foi à unidade em busca da receita para um remédio que precisa tomar diariamente. A médica rasgou a nota após perguntar para o homem em quem ele votava para presidente, e de ter ouvido Fernando Haddad, do PT, como resposta.

De acordo com a direção do hospital, a médica e o servidor aposentado foram ouvidos, e as versões de ambos correspondem. Ou seja, a profissional confessou o ato.

médica Maria Tereza da Costa Dantas foi afastada do Hospital Giselda Trigueiro. A informação foi repassada ao PORTAL NO AR pela direção da unidade onde a infectologista rasgou a receita prescrita a um paciente. Isso aconteceu após a profissional descobrir que ele não vota no candidato do PSL para presidente da República, Jair Bolsonaro, que tem a preferência dela.

De acordo com a direção do hospital, a médica está afastada por tempo indeterminado até o desfecho do caso. “Foi aberto um inquérito administrativo, que foi enviado à assessoria jurídica da Secretaria de Saúde. Vem de lá a decisão de suspensão, advertência ou o que quer se seja”, relatou André Prudente, diretor técnico da unidade.

O diretor contou que a médica atua no hospital encravado nas Quintas, bairro da zona oeste de Natal, há mais de 20 anos. A profissional tinha um histórico de boa conduta, informou André Prudente.

José Alves de Menezes, de 72 anos, trabalhou no Hospital Giselda Trigueiro como auxiliar de serviços gerais. Ele está aposentado, e foi à unidade em busca da receita para um remédio que precisa tomar diariamente. A médica rasgou a nota após perguntar para o homem em quem ele votava para presidente, e de ter ouvido Fernando Haddad, do PT, como resposta.

De acordo com a direção do hospital, a médica e o servidor aposentado foram ouvidos, e as versões de ambos correspondem. Ou seja, a profissional confessou o a

Por: Nova Cruz Oficial
Comentários ()