Na Paraiba
Mãe acusada de participar da morte de filho é condenada a 34 anos de prisão, na Paraíba
Padrasto da criança e outro acusado no crime seguem presos aguardando julgamento

Publicado em 25/05/2022 23:40 - Atualizado em 25/05/2022 23:40

Foto/Reprodução

Do Portal Correio - Laudenice dos Santos Siqueira, mãe de Everton Siqueira, que tinha cinco anos, foi condenada a 34 anos de prisão, acusada de participar da morte do filho em um suposto ritual de magia oculta na cidade de Sumé, no Cariri da Paraíba, em 2015.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O julgamento ocorreu nessa terça-feira (24), durou cerca de 10 horas e foi transferido para o Tribunal do Júri em Campina Grande para evitar risco a acusada. O padrasto da criança e outro envolvido no crime seguem presos aguardando o julgamento.

O grupo é acusado de homicídio por motivo torpe, crime cruel praticado mediante tortura, impossibilidade de defesa da vítima, ocultação e destruição de cadáver, humilhação a cadáver e associação criminosa.

O caso

Everton Siqueira foi encontrado mutilado em um matagal, no dia 13 de outubro de 2015, na cidade de Sumé, no Cariri paraibano.

As investigações da Polícia Civil apontaram que a criança teria sido morta na madrugada de 11 de outubro, na Zona Rural, no que teria sido um ritual de magia oculta.

Ainda conforme a polícia, o sangue e os órgãos da criança foram retirados com a permissão da mãe, que participou do crime.

A polícia suspeitou da mãe e do padrasto da criança após perceber frieza no comportamento dos dois e durante a apuração do caso, ela acabou confessando o crime em depoimento.

O padrasto Joaquim Nunes dos Santos foi acusado em denúncia do Ministério Público da Paraíba (MPPB) de ser o mentor do crime com outros dois homens.

Assim como a mulher, os três foram presos, mas um deles foi assassinado no presídio e o MP acusa Joaquim desse homicídio, que teria ocorrido para esconder o caso da criança.


250 x 100
Contato
contato.novacruzoficial@bol.com.br

Direção Geral: 84 98718-8468